Governo do Estado avança na educação indígena

Publicado em 30 de outubro de 2018

Chegar às aldeias mais distantes levando educação de qualidade tem sido um dos grandes desafios vencidos pelo governo do Acre por meio da Secretaria de Educação e Esporte (SEE). E a ousadia em acreditar nas transformações mudou a realidade de diversas etnias de nosso Estado.

Educação de qualidade do governo chega a todas as comunidades indígenas.
Foto: Arquivo SEE

A responsabilidade em levar essa transformação para essas localidades coube à Coordenação de Educação Indígena que se empenhou para que as crianças das nossas aldeias tivessem as mesmas oportunidades de ensino que são oferecidas às crianças que moram nas cidades.

Um grande passo nesse sentido foi dado a partir da realização do Processo Seletivo Simplificado (PSS), realizado este ano, para a contração de 150 professores indígenas, moradores das próprias aldeias onde e conhecedores da realidade e da cultura dos povos da floresta.

Para o coordenador de educação indígena, Paulo Roberto Nunes, a atenção dada pela SEE às comunidades, principalmente na implementação dos Projetos Politicos-Pedagógicos (PPPs) é fundamental para a melhoria da qualidade de ensino às crianças nas aldeias.

Nessa política ele cita o PPP acerca da formação de professores, já aprovado pelo Conselho Estadual de Educação (CEE) e a conclusão do projeto pedagógico do povo Yawanawa, no município de Tarauacá. Sem falar no ensino médio, que irá iniciar agora no final do mês de outubro para os povos Manchineri.

“Temos ainda a proposta educacional do povo Kaxinawa, que será o primeiro currículo específico para as escolas indígenas e que afetará diretamente 49% dessas escolas e cujo projeto está sendo enviado ao CEE para ser apreciado e aprovado”, explica o coordenador.

Outro grande avanço no que diz respeito a educação indígena e a aprovação das categorias escola e professor indígenas. Atualmente, o governo possui 142 escolas dessa categoria em todo o Estado, atendendo em torno de 5.400 mil alunos, desde o ensino fundamental I (que está universalizado nessas escolas), até o ensino médio.

 



COMENTÁRIOS: