Viver Ciência Itinerante reúne quase cinco mil pessoas no Alto Acre

Publicado em 14 de maio de 2018

O evento reuniu comunidade, estudantes e professores do Brasil da Bolívia (Foto: Eduardo Gomes/SEE)

A Mostra Viver Ciência Itinerante foi aberta oficialmente na noite da última quinta-feira, 10, na Escola Belo Porvir, em Epitaciolândia. Esta edição regional reuniu estudantes dos municípios do Alto Acre e de Cobija, capital do Departamento de Pando, na Bolívia.

Um espaço para apresentação de projetos nas áreas de iniciação e experimentação científica, meio ambiente, educação, cultura e para a troca de conhecimentos.

Evellyn Emanuele, estudante do 7º ano da Escola Brasil Bolívia, teve o primeiro contato com o planetário e ficou encantada. “Foi a primeira vez que eu vi apresentações em 3D como aquelas. Achei bastante interessante e divertido”, afirmou.

Alunos de diversas escolas da região participam da programação durante os dois dias. Nos espaços da unidade escolar muitos trabalhos foram expostos. Serviços públicos também foram oferecidos.

Diversos experimentos estiveram expostos durante o evento (Foto: Thais Farias/SEE)

Bruno Oliveira, estudante do 9º ano, gostou das experiências realizadas pelos estudantes e professores das disciplinas de química e física. “A Viver Ciência está muito organizada e reúne vários experimentos. Aprendi como uma transformação química acontece na prática, com um aluno mostrando”, disse.

Cleide Prudêncio, diretora de Inovação da secretaria de Educação e Esporte do Acre (SEE), disse que a Mostra tem crescido e apresentado o potencial de estudantes e professores da rede pública. Segundo a coordenação, quase cinco mil pessoas passaram pela Escola Belo Porvir nos dois dias de evento.

“A Viver Ciência Itinerante aqui no Alto Acre tem essa peculiaridade. Os estudantes do Brasil e da Bolívia interagem e apresentam os resultados daquilo que aprendem nas salas de aula. A Mostra é isso, os povos unidos pela Ciência, Tecnologia e a Inovação”, ressaltou.

Escolas de Cobija integraram as atividades da Mostra (Foto: Eduardo Gomes/SEE)

O intercâmbio de saberes

Os alunos da escola Heroes de la Distancia fizeram uma apresentação sobre a importância da conservação dos recursos naturais. Eles encenaram uma peça de teatro para os expectadores abordando de maneira rápida e eficiente os meios de economizar água.

Cailita Furtado, estudante do 3º ano do ensino fundamental, lembrou que as crianças também podem ajudar na conservação dos mananciais e na economia de água no dia a dia.

“A nossa apresentação fala da necessidade que temos de cuidar das nossas fontes de água potável para viver bem. Nossa escola faz parte desse projeto socioprodutivo desenvolvido em parceria com Brasil e Peru”, lembrou.

Pelo menos quatro escolas de Cobija participaram das atividades desenvolvidas na quinta e sexta-feira na Belo Porvir. O subdiretor de Educação do Ensino Regular do Departamento de Pando, Andreas Delgado, destacou que a Viver Ciência se tornou um espaço de aprendizado também para os professores.

“Nós precisamos fortalecer as relações de intercâmbio entre os nossos educadores, pois nossa localização torna muito mais fácil esse tipo de iniciativa. A Mostra é um marco para o ensino e pesquisa na tríplice fronteira”, afirmou.

O evento também se transformou em espaço para as apresentações culturais (Foto: Eduardo Gomes/SEE)

Próximas etapas

O Viver Ciência Itinerante segue seu calendário nas regionais. A próxima edição contempla as cidades do Tarauacá/Envira.

Em seguida será a vez dos estudantes da regional Purus, em Sena Madureira, aproveitarem as atividades da Mostra.



COMENTÁRIOS: